Menu do Site

Município de Sobral realiza ações emergenciais para minimizar os impactos causados pela seca

De acordo com o levantamento feito pela Agência Nacional de Águas, o semiárido nordestino sofre com a pior seca dos últimos 30 anos. Em Sobral, o combate aos danos causados pela estiagem tem sido concretizado com uma série de ações desenvolvidas por meio de parcerias. Instituído no ano passado, o Gabinete Municipal de Monitoramento de Ações de Convivência com a Seca, tem acompanhado a situação de cada localidade, agilizando o atendimento às muitas famílias da zona rural e dos distritos.

O Gabinete é formado por representantes de várias instituições como as secretarias da Agricultura e Pecuária, de Conservação e Serviços Públicos, de Obras, da Cidadania e Segurança, de Desenvolvimento Social e Combate à Extrema Pobreza, SAAE, COGERH, CAGECE e Sindicato dos Trabalhadores Rurais.

A Operação Carro-Pipa, coordenada pela Defesa Civil, atende a 193 localidades dos distritos de Aracatiaçu, Baracho, Caioca, Caracará, Jordão, Patos, Taperuaba e na zona rural da sede do Município. Em média são 224 mil litros de água por dia. Desde o início da Operação Carro-Pipa, em fevereiro do ano passado, já foram distribuídos 78, 16 milhões de litros de água, que abasteceram 3.028 famílias, cerca de 15 mil pessoas.

Estão sendo construidos 41 novos chafarizes; novos poços profundos têm beneficiado as localidades de Aracatiaçu, Caracará, Taperuaba, Jordão, Bilheira, Caioca, Baracho, jaibaras, Boqueirão e Pé de Serra, zona rural da sede. 23 já estão em funcionamento. O investimento é de R$ 627 mil, com recursos de Sobral em parceria com o Governo Federal. Ao todo são 123 poços mantidos em todos os distritos, com a manutenção de reservatórios e caixas d’água. A população abastecida com poços totaliza 14.684.

Este ano foram concluídos os projetos de abastecimento de água nas comunidades de Melado/ Alto Alegre (Caracará), com 50 famílias atendidas; Emasa (Aracatiaçu), com 75 famílias; Flores/ São José (Aracatiaçu), beneficiando 45 famílias; e Santa Luzia (Baracho), atendendo mais 45 famílias.

O atendimento com cisternas também tem sido outra alternativa. As localidades dos distritos de Jordão, Jaibaras, Patriarca, Caracará e Boqueirão já receberam 600, das 1.776 cisternas de placa a serem entregues. Mais 136 estão em fase de implantação em Taperuaba. A meta, de acordo com o Prefeito Veveu é atender todas as comunidades distantes. “O trabalho de parceria instituído entre o Município e outros órgãos e instituições tem nos dado a oportunidade de enfrentar esse grande desafio que é a convivência com o semiárido. O nosso Gabinete Municipal de Monitoramento de Ações de Convivência com a Seca é de extrema importância para a orientação do que deve ser feito para o benefício de nossas famílias da zona rural”,afirmou o Prefeito. 

O programa Água para Todos, do Governo Federal, contemplou com cisternas simplificadas de abastecimento de água e kits de irrigação, 14 localidades em Sobral. O projeto São José III, outro reforço no combate à estiagem, contemplou o Município com 5 projetos produtivos, beneficiando 146 famílias com investimento de R$ 1,26 milhão, além dos recursos para mais 7 projetos de abastecimento de água, que beneficiarão 747 famílias, quase 3 mil pessoas, com uma média de R$ 4 milhões em investimentos.

Os produtores rurais têm recebido apoio técnico da Secretaria da Agricultura, que investiu, desde 2011, cerca de R$ 3,5 milhões nas atividades produtivas com implantação de 300 aviários (projeto Galinha Caipira), 36 apiários (produção de mel), 10 quintais produtivos, aquisição de gaiolas para os projetos de piscicultura, construção de unidades de beneficiamento de pescado e de frutas (UADAP), com assistência e orientação técnica, produção de hortaliças, além de cursos de beneficiamento dos produtos, entre outros.

Essas ações do Município criaram condições para que o produtor rural pudesse fornecer para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Hoje 400 agricultores estão cadastrados no programa, que atende 94% dos distritos de Sobral. De 2010 ao início deste ano, o Município comprou diretamente da agricultura familiar mais de R$ 3 milhões na aquisição de mais de 1.000 toneladas de alimentos, que foram parar nas mesas de 30 instituições socioassistenciais como: restaurante popular, que recebe 60% da produção para servir diariamente 1.220 refeições ao preço de um real; hospitais, abrigos, orfanatos, e escolas. Em setembro foi iniciado um novo edital no valor de R$ 1,4 milhão para o PAA.

Outra ação da Seagri para garantir alimento ao animais é a produção de ensilagem. De maio a agosto deste ano foram cultivados milho e sorgo, com a participação de agricultores familiares dos assentamentos de Flores e São José, do distrito de Aracatiaçu, para a produção de 200 toneladas de ensilagem, destinadas à estocagem de alimentação para o gado. O projeto surgiu da necessidade emergencial que os pequenos produtores dos assentamentos rurais enfrentam. Isso tem ajudado o Município a dar continuidade à produção e sustentabilidade dos rebanhos bovinos, caprinos e ovinos.

O Município implantou, ainda, 20 hectares de áreas com espécies forrageiras (feijão, guandu, sorgo forrageiro, leucena e gliricídia), beneficiando 38 agricultores das áreas de assentamento de Taperuaba (Jurema, Sabonete e Puba), Aracatiaçu (assentamentos: Flores e São José III), Caracará (assentamentos casinhas e Picada Ruzy) e Jaibaras (setores I, II e III).

Outra medida de minimização do impacto da seca na região é o Garantia Safra, do Governo Federal. Sobral tem cadastrados 3.775 agricultores no programa de 2012/2013. A contrapartida do Município é de R$ 107.587,05.

Como o assunto semiárido tem chamado a atenção do mundo, no mês de agosto deste ano, Sobral recebeu a Conferência Latinoamericana de Combate à Desertificação, que reuniu mais de 450 participantes de 17 países, entre cientistas, acadêmicos, técnicos, membros de organizações não governamentais e da sociedade civil, para uma troca de conhecimento e estruturação de uma rede de produção científica sistematizada que possa pensar soluções e estratégias de convivência nas regiões secas.

Outra oportunidade de debate sobre o assunto será entre os dias 7 e 9 de novembro, durante a realização da  XI Agrinorte, Feira da Agricultura Familiar da Zona Norte do Estado de Ceará, que trará como tema: Tecnologias Sociais e Agroecologia: Convivendo com o Semiárido”. Na Feira, serão realizadas diversas oficinas práticas. As inscrições podem ser feitas no site da Secretaria da Agricultura.


Fonte: ASCOM PMS
Divulgue

Poste um comentário: