Arquivo do blog

Menu do Site

Saúde Sobral | Médicos viajam de avião para plantão de 24h no Hospital Regional Norte


Mesmo com seleção, Hospital Regional Norte não tem médicos suficientes.
Para sindicato, forma de contratação e condições de trabalho não são boas.



Mesmo com a realização de seleção pública para o Hospital Regional Norte (HRN) ainda faltam médicos. De acordo com a Secretaria de Saúde do Ceará, dos 342 médicos que passaram no certame, apenas 115 estão trabalhando no HRN. Segundo a direção do hospital, a maior dificuldade é a contratação de médicos para dar plantão na emergência.
Para trabalhar 24 horas por semana, o salário oferecido é entre R$ 7.500 a R$ 8 mil. Muitos médicos estão viajando de aeronave da capital até Sobral para os plantões pelo menos uma vez por semana. Dos voos que chegam ao município, a maior parte é de médicos. Os custos com os voos são pagos parte pelos profissionais e a outra parte pelo do Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH), que gerencia o hospital.
De acordo com o presidente do ISGH, o médico contratado recebe ajuda de custo adicional para o transporte. Para o diretor do Sindicato do Médicos do Ceará, Tarcísio Matos, a dificuldade do médico em ir trabalhar no interior é a forma da contratação e as condições de trabalho .
“O médico gostaria de fazer um concurso publico, ter uma carreira. Isso não ocorre em Sobral. Ele faz uma seleção e, nessa seleção, a carteira é assinada. Porém, ele pode trabalhar o dia em que gestor achar que é importante. Não tem uma estabilidade”, afirma Tarcísio Matos.
Polêmicas
O Hospital Regional Norte foi inaugurado em janeiro de 2013. Mesmo sem funcionar com 100% dos atendimentos da unidade, a inauguração foi com o show da cantora Ivete Sangalo, com o custo de R$ 650 mil.
O Ministério Público de Contas questionou o preço, mas o Tribunal Contas do Ceará (TCE) não detectou irregularidades. O Ministério Público Federal chegou a pedir na Justiça que o governador devolvesse o valor do cachê próprio bolso. A Justiça Federal afirmou que não tem competência para julgar o caso, já que não envolve dinheiro da União.
Além da polêmica do cachê da artista, um mês depois da inauguração, a marquise do hospital desabou. Duas pessoas feridas receberam atendimento na Santa Casa de Sobral. O custo de reparo e reposição da marquise foi de responsabilidade do consórcio que realizou a obra. O equipamento tem 382 leitos, 70 destes são de Unidades de Terapia Intensiva.

Fonte: G1 Ceará
Share

Poste um comentário: